Home / Economia / Sistema bancário brasileiro mudará com venda do HSBC
Sistema bancário brasileiro mudará com venda do HSBC

Sistema bancário brasileiro mudará com venda do HSBC

bancos

Para Michele Juca, professora de Finanças da Universidade Presbiteriana Mackenzie, a venda das operações do HSBC irá mudar a relação de forças no mercado bancário no Brasil.

– Atualmente, o HSBC é a sexta maior instituição do sistema financeiro nacional, com um total de ativos de R$ 168 bilhões. A venda de seus negócios no Brasil e na Turquia faz parte de uma estratégia maior de concentração de suas operações na China e Índia – ressalta.

Para a especialista, a organização pretende transferir sua sede de Londres para a Ásia com intuito de consolidar sua presença na região.

No Brasil, três bancos estão participando do processo de aquisição do HSBC.

– O Bradesco ofereceu R$ 10 bilhões (US$ 3.1), enquanto que o Santander ofertou R$ 9 bilhões (US$ 2.8) e o Itaú Unibanco R$ 8 bilhões (US$ 2.5). Para o Bradesco, a aquisição é ainda mais estratégica, uma vez que ele teria a oportunidade de aproximar seu total de ativos (R$ 883 bilhões + R$ 168 bilhões = R$ 1,051 trilhões), ao do Itaú Unibanco (R$ 1,117 trilhões) e ao da CEF (R$ 1,064 trilhões), passando a deter mais de 14% do total do mercado financeiro nacional. Esse valores de ativos referem-se à data-base de 31/12/2014 – afirma.

Setor financeiro investe 11% a mais em tecnologia em busca da satisfação dos usuários

A Pesquisa Febraban de Tecnologia Bancária 2014, recentemente divulgada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), registrou novamente o crescimento dos investimentos de bancos e instituições financeiras em produtos e serviços voltados para tecnologia. O índice revelado pelo estudo mostrou um aumento de 11% em relação ao ano anterior, atingindo um percentual de 18% do total de gastos com TI, o mesmo registrado em países como França e EUA.

A pesquisa é realizada há mais de 20 anos pela Febraban e tem como objetivo mapear o estágio da tecnologia no setor financeiro, assim como mostrar os investimentos para o desenvolvimento de soluções de TI, que visam a facilitar o dia-a-dia dos usuários. Em ascensão contínua, o setor foi considerado como o que mais investe em recursos tecnológicos no país.

O cenário registrado no estudo é o reflexo de uma sociedade que busca cada vez mais os serviços digitais, o que impulsiona bancos e demais instituições a investirem em produtos que têm o conceito de experiência do usuário, ou user experience (UX), bem planejados, funcionais, ágeis e que de maneira prática atenda as necessidades de quem os utiliza.

Para discutir essas e outras questões tecnológicas, a Febraban promove ainda a 25ª edição do Ciab Febraban, evento de tecnologia para o setor financeiro da América Latina, de 16 a 18 de junho, no Expo Transamérica, em São Paulo.

Sobre outrolado

Notícias Relacionadas