Home / Brasil / Ex-movimento estudantil Viração reúne-se no sábado (20) em Goiânia
Ex-movimento estudantil Viração reúne-se no sábado (20) em Goiânia

Ex-movimento estudantil Viração reúne-se no sábado (20) em Goiânia

Grupo de militantes que lutaram pela democracia na década de 1980 vai se reunir em evento festivo neste sábado no ADUFG

viracao1

A Viração, movimento estudantil que começou a partir do Congresso de Reconstrução da União Nacional dos Estudantes (UNE) em Salvador, capital da Bahia, no ano em que foi sancionada a Lei da Anistia (1979), vai reunir seus militantes em Goiás neste sábado (20/6), às 19 horas, no Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (ADUFG), localizada no Setor Vila Nova, em Goiânia.

O reencontro juntará novamente o grupo de pessoas que atuaram politicamente lado a lado na década de 1980 e que, agora, promove uma terceira atividade festiva. A ideia da terceira festa surgiu de uma reaproximação destes militantes que, em comum, compartilham a vontade de intervirem novamente no cenário político nacional. Atualmente, o Brasil passa por momentos conturbados e há claras ameaças às conquistas democráticas conseguida com muito sacrifício pelos brasileiros desta geração.

História de luta

A Viração, que surgiu em 1980, foi o nome da chapa para a presidência da UNE vencida por Aldo Rebelo, atualmente ministro de Ciências e Tecnologia do governo da presidente Dilma Rousseff (PT). A partir dessa mobilização nacional, o movimento estudantil conseguiu se unificar como tendência nacional. Jovens integrantes do PCdoB participaram da Viração, mas nunca houve vínculo entre a tendência e o partido do ideólogo João Amazonas. Tanto que, atualmente, os ex-militantes da Viração Goiás estão espalhados em sete partidos, como PCdoB, PT, PSDB, PSD, PSB, PV, PMDB, além do fato de que a grande maioria não tem militância partidária, como, aliás, sempre foi.

Nacionalmente, a luta da Viração começa na reconstrução do Movimento Estudantil brasileiro, a partir do Congresso de Reconstrução da UNE em Salvador, em 1979. Em Goiás, ainda em 1979, o Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade Federal de Goiás (UFG) já seria disputado pelo grupo político que formaria a Viração estadual, numa chapa denominada Aroeira, que tinha Luiz Carlos Orro como candidato a presidente.

Em 1981, a Viração ganharia as eleições do DCE/UFG, elegendo Osmar Pires presidente e Denise Carvalho vice. Naquele mesmo ano foi deflagrada uma grande greve de estudantes. Para se ter ideia, a assembleia de deflagração da greve contou com a presença de mais de 4 mil estudantes. A pauta da greve foi construída em dezenas de assembleias nos vários cursos da UFG, que ao final produziram um documento apontando problemas da universidade e propuseram soluções para cada esfera — desde a direção do curso até o governo federal.

O Movimento Pula-Catraca, de 1983, época em que Denise já presidia o DCE, foi mais uma das grandes lutas protagonizadas pela Viração Goiás, com mais de 1,5 mil estudantes entrando diariamente sem pagar os bilhetes do transporte coletivo. No final, os estudantes conquistaram a meia-passagem.

O evento de amanhã será um encontro de amigos e companheiros para uma festividade, mas que vão fechar o compromisso de prosseguirem na luta libertária de muitas pautas sociais do País. (Jornal Opção)

Sobre outrolado

Notícias Relacionadas

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*