Home / América Latina / Os enormes prejuízos a Cuba causados pelo bloqueio norte-americano
Os enormes prejuízos a Cuba causados pelo bloqueio norte-americano

Os enormes prejuízos a Cuba causados pelo bloqueio norte-americano

(Prensa Latina) Apenas no último ano o bloqueio econômico, comercial e financeiro a Cuba por parte de Estados Unidos causou afetações por volta de 3.850.916.000 dólares.

Essa enorme cifra tem como um indicador especial o das exportações de bens e serviços deixadas de realizar devido à medida punitiva, as quais totalizam 70% delas, pelo qual se eleva a dois 2.698.636.842 dólares.

É fácil dar-se conta do empenho existente nas ações da potência agressiva para golpear esta esfera da economia nacional colocando todo tipo de obstáculos no caminho das operações de comércio exterior da ilha.

Trata-se de um segredo a vozes pois um dos principais objetivos do bloqueio é impedir, além da venda de produtos cubanos ao mercado norte-americano, qualquer operação comercial de Cuba com outra nação, não importa o país que seja.

Precisamente os indicadores relativos ao fechamento do mercado estadounidense disseram claramente que, no espaço de tempo pontuado, as proibições aumentaram em 196%.

Em consequência disso se imobilizaram em território cubano significativos recursos em inventários ao ter que se cobrir longos períodos de transportação desde lugares muito longínquos e aumentar o custo das operações pela utilização de intermediários.

A guerra econômica declarada por Washington incidiu diretamente na redução dos fluxos de investimento estrangeiro, segundo explicou-se no relatório elevado por Cuba à Assembleia Geral da ONU sobre o comportamento do bloqueio no último ano.

Isto resultou lógico ante o crescente temor refletido pelos inversores a gigantescas multas impostas pelo Departamento do Tesouro estadounidense a empresas e companhias que se atreveram a realizar alguma compra ou venda a Havana.

Deve ser recordado que, precisamente em relação ao anterior, o Orgão de Solução de Diferenças dependente da Organização Mundial de Comércio ratificou que este aplicativo extraterritorial das disposições norte-americanas viola a legislação existente em matéria de direitos ao comércio exterior.

O relatório cubano à ONU é rico em exemplos da atitude dos Estados Unidos, muito diferente à de Cuba que tem respeitado totalmente as obrigações contraídas neste campo e denunciou claramente as intenções aviesas do cerco.

Sobre outrolado

Notícias Relacionadas

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*