Home / Brasil / Denuncie o golpe na tribuna da ONU, presidenta Dilma
Denuncie o golpe na tribuna da ONU, presidenta Dilma

Denuncie o golpe na tribuna da ONU, presidenta Dilma

Davis Sena Filho — Palavra Livre

Presidenta Dilma Rousseff, denuncie, na tribuna da ONU, o golpe de estado no Brasil travestido de legalidade. A comunidade internacional precisa saber da incomensurável cafajestada praticada pela direita tupiniquim. Denuncie o escândalo do golpe e a casa grande brasileira, única culpada e responsável pelo Brasil, apesar de ser uma das dez maiores economias e democracias do mundo, ser considerado, em termos planetários, uma república bananeira, mesmo a ser poderoso e importante no mundo. E por que o establishment age criminosamente? Porque há séculos é dessa forma e maneira que a burguesia brasileira ganha dinheiro e reafirma o status quo perante o povo brasileiro.

Depois da denúncia na ONU sobre o golpe de estado canalha da direita política, partidária e empresarial, presidente Dilma, decida com o PT e seus aliados, tanto do mundo partidário quanto o da sociedade civil organizada, a estratégia de enfrentamento ao governo ilegítimo e golpista de Michel Temer, traidor que luta para tomar o poder central na mão grande, como fazem os ladrões, porque sua hipotética derrubada da Presidência é similar a um assalto a mão armada.

Criminosos assaltaram o Palácio do Planalto e deixaram com as mãos para o alto 54,5 milhões de cidadãos brasileiros, que terão de reagir a tão injusta ação política de uma das piores e mais perversas plutocracias do mundo, a começar pelo segmento mais deletério delas, que são os oligopólios midiáticos dominados por verdadeiros gangsters assessorados por monstrinhos patifes (jornalistas) criados em redações como pitbulls de guarda, que se submetem por dinheiro para fazer o jogo sujo e concretizar os caprichos antirrepublicanos de seus patrões.

A meu ver e desprovido de paixões e partidarismos, Dilma Rousseff deve sair do poder após os trâmites “legais” do golpe de estado, agora a ser analisado e votado pelo Senado. Considero até que Dilma Rousseff, o PT e o Lula deveriam somente ir ao STF para que seja registrado, em forma de contestação e indignação, o golpismo de direita, da direita e para a direita, que rebaixa mais uma vez o Brasil, poderoso País de língua portuguesa, a uma república de bananas, sem obediência às leis e à mercê de uma máfia que deseja pôr as mãos nos cofres do Estado, bem como se livrar de processos que correm na Justiça que podem levar-lhe à cadeia.

A direita quer fechar a Lava Jato e perdoar o deputado Eduardo Cunha, dentre outros cafajestes. Cunha é o golpista-mor, juntamente com o vice, Michel Temer e os donos de televisões, porque se ele for preso sua delação premiada vai ser como um estrondo retumbante de um trovão e levar para o buraco dezenas de políticos golpistas e empresários que estão até hoje lépidos, soltos e fagueiros, como se nunca tivessem cometido crimes e, hipocritamente e cinicamente, a condenar uma mulher e cidadã honesta do caráter de Dilma Rousseff, e, com efeito, livrar a cara de ladrões e corruptos, que realizaram um show mequetrefe e canalha ao vivo, na Câmara dos Deputados, a transformá-la em um circo de horrores.

Inverteram-se os valores, pois no Brasil ladrões julgam uma presidente que não cometeu crimes de responsabilidade. E os juízes impolutos do STF fingem que não veem nada, o que impressiona o cidadão que tem um pingo de discernimento e noção do que é justo ou injusto, verdadeiro ou falso, porque tem livre arbítrio e capacidade de pensar e, portanto, julgar os fatos, os acontecimentos e as realidades que se apresentam no que concerne ao dia a dia desse processo político criminoso porque de intenção golpista.

Temos uma “elite” ou oligarquia provinciana e atrasada, sempre a apostar em retrocesso para se dar bem e ganhar muito dinheiro, como já disse anteriormente. Não porque o povo trabalhador é provinciano, subalterno e subserviente, pois esses termos são apropriados à casa grande deste País, que luta e persevera para manter os grilhões do subdesenvolvimento e, consequentemente, se locupletar. É desse jeito atroz que funciona o modus operandi dessa gente golpista: “Transformam o País inteiro num puteiro, pois assim se ganha mais dinheiro!” — como define muito bem um dos versos de Cazuza sobre as classes dominantes brasileiras.

Dilma falar na ONU é essencial para a democracia brasileira e à luta por estabilidade política até em âmbito de América Latina. E por quê? Porque o golpe de estado com verniz de legalidade é, na verdade, um golpe violento e que rasga a Constituição, retrocede a democracia ao ano de 1964, além de retirar do povo brasileiro sua segurança institucional e constitucional, porque o Estado Democrático de Direito fica à mercê dos desejos e das circunstâncias de poderosos grupos políticos e empresariais, que detonam as regras de convivência, encerram qualquer tentativa de diálogo a apostam na ruptura entre os entes políticos e importante segmento da sociedade, demograficamente populoso, que votou no PT e em Dilma Rousseff.

A casa grande acredita que para conquistar o poder, sem respeitar os resultados das urnas, é necessário romper com o jogo democrático, mas também dissimular ou escamotear o golpe, que nasce na Lava Jato do juiz de província, Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, para depois seguir pelos caminhos golpistas do procurador-geral, Rodrigo Janot, chefe dos procuradores da “Liga da Justiça” de Curitiba, seletivos e obsessivos pelo PT, do juiz e empresário do STF, Gilmar Mendes, do PSDB do Mato Grosso, que tem a lhe acompanhar outros juízes, como Luiz Fux, Rosa Weber, Celso de Mello e Dias Toffoli, assim como os delegados aecistas, que por meio de brutalidade tão íntima a certos policiais, xingavam Lula e Dilma, em plena atividade funcional por meio de seus facebooks no período de eleições presidenciais.

Apenas isto. A presidenta Dilma no poder e Lula a apoiá-la, quando servidores subalternos da PF resolveram insultá-los violentamente, com dizeres misóginos e ataques verbais que atingiram até a deficiência de Lula por não ter um dedo. Imagine se tais trogloditas de direita se conduzissem desse jeito na Alemanha ou na Inglaterra. Imaginou? Então, não dá, né?

Não dá para aturar tanta leviandade falta de respeito. Nenhum delegado insubordinado foi punido, quando faltas graves como essas poderiam acabar em demissões, o que seria justo e correto, porque se trata servidores públicos, que recebem altos salários do público, ou seja, dos contribuintes, sendo que muitos deles votam em Dilma e em Lula e discordam que delegados em atividade funcional cometam tais leviandades e patifarias de ordem política. Quer fazer política delegado? Então, se candidate ou simplesmente vá às urnas como qualquer cidadão e pare de encher o saco. Ponto.

É assim que a banda toca no Brasil, um País infeliz por ser a terra de uma oligarquia que escravizou seres humanos por quase 400 anos. Não é à toa que temos centenas de milhares de pessoas a xingar e a disseminar suas violências de conotações misóginas, raciais, de conotação sexista e de preconceito de classe social. Não é à toa, porque os preconceitos estão miseravelmente incrustados nas almas dessa pessoas, corações e mentes. Neste País, não se aceitou a ascensão social dos pobres, bem como a burguesia dona da casa grande não tolera presidentes trabalhistas, como demonstra, inequivocadamente, a história do Brasil.

A solução, no momento, é denunciar o escândalo do golpe em âmbito mundial, sendo que a ONU é o melhor fórum para esclarecer à comunidade internacional que o poderoso País brasileiro, um dos fundadores do G-20 e dos Brics, possui um banco de fomento como o BNDES, que financia mais do que o Banco Mundial (Bird), além de ser o proprietário de uma das maiores petroleiras do mundo e de um sistema bancário super desenvolvido, está prestes a se tornar uma republiqueta de mandarins de direita, que não aceitaram a quarta derrota consecutiva para o PT, resolveram, simplesmente, engessar a economia do País, impedir a governança de Dilma Rousseff, apresentar pautas-bomba no Congresso, que dispõem sobre aumento de gastos para o Governo, assim como criminalizaram a política e judicializaram toda e qualquer ação do Governo Trabalhista, como nomear ministros. E assim se sedimenta o golpe.

Uma verdadeira barbaridade e conspiração, porque até juiz ou juíza de primeira instância, mas de almas coxinhas e levianas têm autorizado liminares, que depois são sempre cassadas pela AGU, o que não importa a tais magistrados irresponsáveis, pois a intenção desses juízes ideologicamente pequenos é fazer barulho e marolas, alimentar o noticiário da imprensa de negócios privados e, consequentemente, prejudicar o andamento do Governo do PT e cooperar com o golpe de estado de direita.

Depois de terem feito seus trabalhinhos rastaqueras na órbita da primeira instância, certamente que tais juízes coxinhas vão esperar pelas férias, de preferência em Miami ou Orlando, beijar a mão do Mickey e depois bancar o Pateta, como deve fazer o juiz Catta Preta, que adora Miami, como deixa claro seu facebook. Tal magistrado é um dos juízes que assinaram liminar para impedir a posse de Lula como ministro da Casa Civil. Uma vulgaridade política que não dá mais para comentar, de tão ordinária, estúpida e mesquinha que é. Chega a dar pena de tanta mediocridade desses magistrados. Política baixa e rasteira.

A verdade é que o consórcio formado pelo sistema judiciário (Justiça, PF e MPF), imprensa de mercado dos magnatas bilionários e partidos de direita, a liderá-los o PSDB e o DEM, é assumir, doa a quem doer e prejudique a quem prejudicar, o poder central e assaltar os cofres públicos, bem como vender as estatais que restam, além de impor uma política econômica neoliberal, que afundou o mundo e privilegiou os ricos e os muito ricos, que até hoje não foram para a cadeia, como aconteceu nos Estados Unidos, onde rico não é punido, ao contrário do que acontece hoje no Brasil, como literalmente se verificou no decorrer desses anos todos, após a crise de 2008, que demoliu as economias dos países desenvolvidos. Os banqueiros, os jogadores das bolsas e os grandes empresários do ramo de imóveis estão livres, leves e soltos, a rir da cara do povo norte-americano e a curtir a vida como se a morte não existisse para eles e o sol somente brilhasse acima de suas cabeças.

Os golpistas querem empossar um governo ilegítimo e desejam o poder pelo poder, assim como escapar da cadeia, já que muitos deles, cerca de 120, respondem por diversos malfeitos na Justiça, sendo que outros tantos são réus, a exemplo do corrupto deputado Eduardo Cunha, que chefiou e coordenou o golpe na Câmara.

Surreal; e com a conveniência e aquiescência de juízes do STF, que, novamente assevero, se omitiram e deixaram o barco navegar em direção à cachoeira, porque, evidentemente, são conspiradores e parte intrínseca do golpe de estado. Perceba a inversão de valores. A que ponto chegou o Brasil em pleno século XXI. E tem gente cara de pau que ainda culpa a Dilma, inclusive políticos de esquerda ou que se bandeou para o outro lado — o lado do golpe. Políticos de esquerda que não percebem que as diferenças políticas não são mais importantes do que está em jogo agora, que é a ruptura institucional e constitucional promovida pela direita. Tem o tal idiota de esquerda ou ex-esquerda ou o que valha que aplica doses cavalares de hedonismo e Arrivismo aplicado diretamente na veia.

Um ladrão e seus aliados ladrões vão derrubar do poder uma mandatária honesta, que disse nos debates políticos ao golpista playboy e apoplético, Aécio Neves, que não “Vai ficar pedra sobre pedra”!, quando os candidatos tratavam do assunto sobre corrupção. Nunca se prendeu tanto corrupto, nas esferas públicas e privadas. Nunca tanto rico foi para a cadeia, como aconteceu nos governos do PT.

Entretanto, tem coxinha ignorante, despolitizado e irado como siri na lata que abre sua boca para dizer que apoia um golpe de estado, porque se diz contra a corrupção. É mole ou quer mais? Não se trata apenas de um imbecil golpista e politicamente conservador, mas, inapelavelmente, equivocado. Simples assim. A corrupção e a precarização de serviços públicos, como a segurança, saúde e educação remontam a décadas de governos conservadores e dedicados a governar para pequena parcela privilegiada da população, a ter os coxinhas de classe média a apoiá-los. São realidades históricas.

E o que acontece? Um bando de golpistas de diferentes setores e segmentos se unem para acabar com o jogo que estão a perder e prestes a terminar. Comportam-se como o garoto que é o dono da bola, no caso os golpistas, donos do dinheiro, e tumultuam a governança de Dilma e o processo democrático até que o jogo seja parado. Logo depois o juiz (STF e Senado) da partida determina que o vitorioso é o garoto dono da bola, o sujeito que, na verdade, perdeu as eleições.

O perdedor efetiva o golpe, porque, juntamente com seus aliados, considera que ter um monte de dinheiro não basta, pois ainda lhe falta o poder de definir quais serão os jogadores que poderão jogar o seu jogo, ou seja, fazer a imposição ditatorial de suas políticas públicas, que é o caso do PSDB, do DEM e do PMDB, que, oportunistas, vislumbram também um caminho tortuoso para chegar ao Palácio do Planalto sem esperar pelas eleições de 2018. É simplesmente o fim da picada! Inaceitável!

Toda a imprensa internacional, sendo que muitos são jornais grandes, poderosos e conservadores perceberam o golpe de estado ilegal e ilegítimo contra a presidente constitucional Dilma Rousseff. Está todo mundo de cara. Um tremendo mico propiciado pela direita brasileira de alma golpista, subserviente e provinciana. Uma tremenda molecagem que humilha o Brasil perante a comunidade internacional. Porém, bananeira é a casa grande brasileira e quem a apoia por migalhas ou por ideologia. Não é o povo que é bananeiro e muito menos quem não vota em partidos da direita brasileira vinculados aos interesses da plutocracia.

A tribuna da Organização das Nações Unidas (ONU) tem de ser usada pela presidenta Dilma Rousseff para denunciar o tenebroso golpe de estado, sem direito a vacilo ou dúvidas. O golpe de estado tem de ser denunciado e os usurpadores do poder tem de ser vistos como canalhas e considerados golpistas. Quem rasga a Constituição e joga para o espaço o Estado Democrático de Direito tem de ser tratado como pária, usurpador e golpista criminoso. Impeachment sem crime de responsabilidade é golpe de estado. Ponto.

E não existe jurista mequetrefe e de direita a serviço do golpe de estado que vá mudar essa realidade por meio de uma petição e palavras propositalmente elaboradas para justificar o injustificável ou que o valha. Juristas erram, porque têm ideologia, preferência partidária e preconceitos sociais, tanto que muitos deram sustentação ao golpe civil-militar de 1964, como estão a dar um golpe descarado em 2016.

Nunca pensei que o Brasil, na altura do campeonato e 30 anos após a redemocratização, fosse passar novamente por um processo golpista. É doloroso e desgastante, degradante e vergonhoso, porque se trata de típico movimento terceiro-mundista, que põe para baixo autoestima de quem sabe o que é uma ditadura, que eu vi ser derrotada quando já tinha 25 anos. A ditadura tem a cara da casa grande brasileira e dos coxinhas de classe média. Trata-se dos mesmos, só que em gerações diferentes. A classe média coxinha é imutável perante o tempo. Sempre vai ser golpista, reacionária e preconceituosa. Uma verdadeira lástima.

O STF tem enorme culpa no que tange ao golpe por ser também vergonhosamente conspirador. Se calou e se omitiu até que se chegasse a esse ponto insustentável, de forma que uma alcateia de golpistas corruptos conquistem o poder sem a autorização e o crivo legítimo e soberano das urnas. Quem efetiva golpe é criminoso. Quem é criminoso tem de ser denunciado pelo MPF e, se comprovado que cometeu crimes, tem de ser processado pelo Estado para depois ser julgado pela Justiça. O problema é que setores do Judiciário são também golpistas. Simples assim, porque não restam dúvidas. Dilma não cometeu crime e tem de denunciar o golpe de estado para todas as nações na tribuna da ONU, com coragem e galhardia. Depois do pronunciamento se pensa em eleições. É isso aí.

Sobre outrolado

Notícias Relacionadas

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicadoCampos obrigatórios estão marcados *

*