Complexo militar do regime norte-americano forjou o “Russiagate”

Russiagate volta-se contra o ninho de cobras onde foi parido
Paul Craig Roberts (Blog)

Leitura edificante para os Moros, Dalanhóis & STF-com-tudo…

Tradução: Vila Vudu

Russiagate começou como conspiração entre o complexo militar/de segurança, o Comitê Nacional Democrata controlado por Clinton, a Corrupta, e parte da esquerda suposta liberal/progressista. O objetivo do complexo militar/de segurança é impedir que o presidente Trump normalize as relações dos EUA com a Rússia, porque o complexo militar/de segurança entende – e nisso não erra – que perderia dinheiro com qualquer redução do próprio absurdo orçamento super inchado e do próprio poder idem. Hillary e o Comitê Nacional Democrata querem fazer esquecer a derrota eleitoral que sofreram, passando a culpa de tudo para a conta de alguma conspiração inventada Trump/Putin para fraudar a eleição. E parte da esquerda suposta liberal/progressista quer derrubar Trump e atropelar os votos que o elegeram legitimamente.

Com os presstitutos da mídia prostituta alinhados com o complexo militar/de segurança, com Hillary, com o Comitê Nacional Democrata e com a esquerda liberal/progressista… a orquestração do golpe chamado Russiagate é conspiração poderosa contra o presidente dos EUA e os “deploráveis” que o elegeram. Mesmo assim, a Conspiração chamada Russiagate caiu aos pedaços e hoje já se virou contra os perpetradores originais.

Apesar da determinação da CIA e do FBI que só pensam em derrubar Trump, essas agências estatais poderosas e perfeitamente opacas, sem qualquer transparência, nem assim conseguiram encontrar qualquer prova de que Trump/Putin tenham conspirado contra Hillary.

Como já disse William Binney, ex-funcionário de alto escalão da Agência Nacional de Segurança que concebeu todo o programa de espionagem dos EUA, se existisse alguma prova de alguma conspiração Trump/Putin para interferir na eleição presidencial nos EUA, a Agência Nacional de Segurança com certeza praticamente absoluta já a teria encontrado.

Assim sendo, onde está a tal prova? Por que, já passado um ano e meio e com procurador especial especialmente nomeado para pegar Trump, nem ele conseguiu encontrar coisa alguma que pudesse mostrar para provar que houve a tal conspiração Trump/Putin? A resposta ó óbvia: nada há a exibir, porque aquela conspiração nunca existiu. A única conspiração que, sim, existe, é tentativa de golpe contra Trump.

Hoje isso já é absolutamente claro. Todo o chamado escândalo Russiagate começou por um falso “dossiê Trump” inventado por Christopher Steele, ex-funcionário do MI6 da inteligência britânica. Ainda não se sabe exatamente se Steele foi pago pelo Comitê Nacional Republicano, pela CIA ou pelo FBI para inventar o tal dossiê. Provavelmente recolheu dinheiro dos três supracitados.

O que se sabe é que o FBI usou um dossiê que sabia que era falso para requerer, nos termos da lei Foreign Intelligence Surveillance ActFISA, de 1978, autorização para espionar Trump.

Consequência desses crimes, todos esses, Comey e o FBI, o promotor especial Mueller e Christopher Steele estão já cozinhando no caldeirão. O presidente da Comissão de Assuntos Jurídicos do Senado dos EUA senador Grassley, ordenou que o Advogado-geral dos EUA investigue as ações e falsas declarações que Steele teria prestado a funcionários da contrainteligência no FBI.

Vê-se facilmente em que direção isso caminha, dado que Comey, ex-diretor do FBI é participante ativo do golpe chamado Russiagate contra o presidente Trump. Para salvar a própria pele, Steele terá de entregar quem o envolveu nisso. Se o presidente Trump tiver um pouco de juízo, garantirá custódia a Steele e o porá sob proteção do Estado, porque não há dúvida de que ele corre perigo. Se escapar daCIA e do FBI, os Clintons com certeza darão cabo dele.

A eleição fácil de Trump abalou o establishment Republicano, assim como abalou os Democratas e todo o complexo militar/de segurança. O establishment Republicano odeia perder o controle. Inicialmente, o establishment Republicano alinhou-se com os inimigos de Trump, mas agora já entendeu que derrota de Trump é derrota deles também.

Consequentemente, de repente, em Washington, os fatos agora valem. Não todos os fatos, só os relacionados ao dossiê Steele. Assistam atentamente e ouçam bem esses dois vídeos em o deputado Jim Jordan d-e-s-t-r-ó-i o vice advogado-geral dos EUA Rosenstein por se manter sentado sobre a própria bunda, enquanto um FBI totalmente corrompido atentava contra o presidente eleito dos EUA, para derrubá-lo da presidência. Tenham em mente que Rosenstein é membro do governo Trump. Por que o presidente dos EUA emprega gente dedicada a destruí-lo?

Os vídeos estão aqui e aqui (ing.). E vejam abaixo as 18 perguntas feitas pelo deputado Jim Jordan e que literalmente destroem Rosenstein, vice-advogado geral dos EUA:

1) O FBI pagou Christopher Steele, autor do dossiê?

2) O dossiê foi o documento usado para fundamentar os mandados FISA que autorizaram que cidadãos norte-americanos fossem espionados? E por que o FBI não mostra ao Congresso o requerimento que encaminhou ao tribunal FISA?

3) Quando o FBI obteve o dossiê completo e de quem o recebeu? Do autor do dossiê Christopher Steele? Da [empresa] Fusion GPS? Da campanha de Clinton/Comitê Nacional Democrata? Enviado pelo senador McCain, por portador?

4) O FBI verificou e confirmou a veracidade do que se contém no dossiê?

5) Peter Strzok, Lisa Page ou Bruce Orr trabalharam para redigir o requerimento encaminhado ao tribunal FISA?

6) Por que e com que frequência o advogado do Departamento de Justiça Bruce Orr encontrou-se com o autor do dossiê Christopher Steele durante a campanha de 2016?

7) Por que o advogado Bruce Orr do Departamento de Justiça encontrou-se com o fundador da empresa Fusion GPS Glenn Simpson depois da eleição? Para acertar a história deles depois que a candidata Clinton foi derrotada? Ou para pagar para ver e planejar como passariam a caçar o presidente eleito Trump?

8) Quando e como o FBI soube que a esposa do advogado do Departamento de Justiça Bruce Orr, Nellie Orr, trabalhava para a empresa Fusion GPS? E qual foi exatamente o papel de Nellie Orr na montagem do dossiê?

9) Por que o FBI divulgou mensagens de texto entre Peter Strzok e Lisa Page? Normalmente, o fato de a investigação estar em curso é razão para não tornar pública informação dessa natureza.

10) E por que o FBI divulgou apenas 375 de mais de 10 mil textos? Selecionaram os melhores? Os piores? Ou foi parte de uma estratégia para desviar a atenção para longe de alguma outra coisa? Quando os norte-americanos verão os restantes 96% dos textos?

11) Por que Lisa Page deixou o inquérito de Mueller duas semanas antes de Peter Strzok? Isso aconteceu duas semanas antes de que o FBI e o Conselho Especial pela primeira vez ouvissem sobre os textos.

12) Por que a comunidade de inteligência esperou dois meses depois da eleição para informar o presidente eleito Trump sobre o dossiê (6/1/2017)? Por que James Comey foi selecionado para transmitir essa informação?

13) O briefing foi feito para “legitimar” o dossiê? E quem vazou o fato de que o briefing era sobre o dossiê?

14) O New York Times noticiou semana passada que a ‘boca mole’ de George Popadopoulos serviu como catalisador para iniciar a investigação sobre a Rússia. O presidente eleito Trump foi informado disso naquele briefing?

15) Por que o fundador da empresa Fusion GPS Glenn Simpson reuniu-se com a advogada russa Natalia Veselnitskaya antes e depois de ela se reunir com Donald Trump Jr.?

16) Por que o conselheiro geral do FBI Jim Baker foi transferido há duas semanas? Foi ele a fonte da primeira história sobre o dossiê, de David Corn, dia 31/10/2016? Ou outra pessoa no FBI?

17) Por que o FBI não encaminha ao Congresso os documentos que lhe foram exigidos?

18) E por que o senador Schumer, líder do Partido Democrata, alertou o presidente eleito Trump dia 3/1/2017 de que quando você se mete com a “comunidade de inteligência, eles acham mil e uma maneiras de revidar”?

Norte-americanos ingênuos e desinteressados da vida política que “acreditam em nosso governo” não fazem ideia de o quanto totalmente corrupto é o governo “deles”. O governo dos EUA é o mais corrupto do mundo. A corrupção em Washington é realmente inacreditável. É preciso tê-la conhecido na própria pele para entender, e os que a sentiram são parte da corrupção geral e não falam.

A encenação chamada “Russiagate” prova que a CIA, a Agência de Segurança Nacional e o FBI são tão corruptos e sem qualquer transparência que são, em conjunto e separadamente, as maiores ameaças que jamais pesaram sobre o povo norte-americano em toda a história do país. A única solução é quebrar essas agências até reduzi-las a pequenos cacos, como o presidente John F. Kennedy tentou fazer, e reconstruí-las do zero com total transparência. E acabar com a proteção a criminosos e seus crimes monstros que se escondem sob o pretexto da “segurança nacional”. Pôr um ponto final na chamada “inteligência”, a menos que medidas e decisões sejam aprovadas por voto unânime do Congresso e da American Civil Liberties Union, ACLU.

A encenação-golpe hoje conhecida como Russiagate [e que nada tem a ver com Rússia ou russos e é obra de norte-americanos] é prova de que as agências supostas “de segurança nacional” são uma força antiamericana, que milita contra as nossas chances de sobrevivermos como povo livre. Os criminosos que hoje agem no FBICIA e no Comitê Nacional Democrata têm de ser investigados, indiciados, processados, condenados e presos, ou a liberdade nos EUA estará morta e enterrada para sempre.

Se o presidente Trump fracassar nessa tarefa, terá falhado no que os EUA esperam dele. As vítimas serão todos os norte-americanos.

Uma questão que sempre fica sem resposta é: por que as grandes empresas comerciais da mídia nada investigaram e nada noticiaram dos incontáveis crimes que foram cometidos contra a democracia, o povo, o voto e a lei nos EUA, e, em vez de fazerem o que é missão delas e sua única razão de ser, puseram-se a dançar como líder de torcida a serviço dos traidores que conceberam e executaram – dentro dos EUA – o golpe batizado de Russiagate?

New York TimesWashington PostNPRCNN e o resto da gangue servem como Relações Públicas da ‘operação’ Russiagate. E toda a responsabilidade por fazer as perguntas indispensáveis que os profissionais assalariados pelas empresas de mídia deveriam estar fazendo, acaba cabendo ao Deputado Jim Jordan.

O que explica essa convergência de interesses entre empresas comerciais de mídia e FBI/CIA? Haverá distribuição de subsídios ocultos envolvidos no ‘caso’?

A pergunta acima é natural, se se vê que as empresas de mídia agem hoje como se fossem propriedade das, e controladas pelas, agências de segurança. Por que a ‘mídia’ absolutamente não dá sinais de incômodo com esse íntimo relacionamento prostituído com o FBI e a CIA? Desde quando ajudar CIA e FBI a administrar mentiras e ‘coordenar’ explicações passou a ser tarefa de empresas jornalísticas e ‘midiáticas’?!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *